#looksdaste | a tal crise de identidade

Pega o chima, o café, e te aprochega. Vamos conversar.

Quem tem mais do que a minha idade talvez já tenha passado, e quem nem chegou perto talvez ache que não vá acontecer, mas uma hora ela chega. A crise de idade.

Junto dela podemos ter crise de identidade e isso atrapalha muitas coisas ao nosso redor.

Quando se tem 17 anos somos meio que obrigados a decidir coisas pro nosso futuro, e parece que qualquer escolha errada vai interferir em tudo, e seremos fracassados. Uma vez uma menina de 10 anos veio falar comigo preocupada com o que ela iria escolher pra fazer na faculdade, afinal ela queria cursar determinado curso, enquanto os pais dela queriam outro. Contei sobre minha larga trajetória, que iniciei num curso por justamente achar que aquele era meu futuro, fazer o que minha mãe fazia, e de certa forma eu queria deixar meus pais orgulhosos fazendo concursos por aí. Depois acabei trocando de área, de faculdade e até mesmo de cidade, o que me faz concluir que o medo de me jogar, a minha auto confiança e meu “foda-se eu quero fazer o que me faz feliz” me ajudaram a concluir uma etapa. Falei pra essa menina que não faz mal não saber o que se quer fazer quando chegar na chamada “data limite”, quando se sai do ensino médio. As pessoas fazem escolhas diferentes, e não há nada de errado nisso.

Ontem, conversando com minha irmã mais nova, que acabou de completar 21 anos, abordamos essa ideia social de que se precisa escolher cedo o que se quer fazer da vida, porque se você não fizer um concurso ou não comprar um apartamento até os 30 anos, você é uma pessoa falida. Se você tem 25 anos e ainda mora com os pais você é um mimado, que não quer nada com nada, e por aí vai. Ontem mesmo estava eu pensando que a fase entre os 20 e 30 anos é tão cheia de expectativas dos outros sobre nós. Cada um tem um total direito de seguir por determinado caminho, mas se priva pelo que os outros vão pensar. Tem gente que se resolve profissionalmente aos 30/40, e tem gente que batalha por isso aos 20.

Depois dos 20 anos percebi que venho criando uma identidade minha, gostos meus, busca por informações únicas e realmente me conhecendo. Esse período é cheio de descobertas, transições, e as vezes a gente se vê perdido, com medo de seguir determinado caminho, por não saber se ele é o correto ou não. Muitas vezes eu quis ser eu mesma no futuro pra cruzar comigo no passado e dizer se valeu a pena. Acho que tomo mundo vai passar por esse período, e ele e fundamental pra certas coisas serem reconhecidas, amadurecidas e vividas. Aos 30 anos é que a vida se torna um pouco mais estável (imagino eu), porque aqueles medos adolescentes diminuem um pouco, você já se conhece bem o suficiente pra poder se mostrar pro outro, e algumas decisões já estão mais concretas para serem efetuadas.

Vamos conversar? O que vocês pensam sobre crise de identidade, de idade, e do que mais tem medo?

Nesse look eu usei:

Calça: eu customizei | Jaqueta: Oxo Paxo | Bota: ComfortFlex

Fotografia: Milena Guimarães

Anúncios

2 comentários sobre “#looksdaste | a tal crise de identidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s